TIPOS DE SOLOS PREDOMINANTES EM ARARI




ARARI: TIPOS DE SOLO PREDOMINANTES


Os solos representam a base de numerosas atividades humanas. O geólogo o entende como rocha decomposta e indicador de processos geológicos passados; o agrônomo o vê como sustentáculo da vida; para o engenheiro civil interessa o seu comportamento mecânico e hidráulico. O pedólogo vê o solo como corpos naturais, portadores de vida microbiana e resultante de complexos processos realizados na interface litosfera-atmosfera-biosfera, num certo período de tempo e em certas condições topográficas (OLIVEIRA e BRITO, 1998; LEPSCH, 2002). Para o geógrafo, o conhecimento de sua origem e dinâmica ambiental é significativo para determinar potencialidades e fragilidades no uso e ocupação de um território.


No estado do Maranhão, os tipos de solos predominantes são: Latossolos, predominantes em 34,96% do território do estado; Argissolos, em 26,26%; Plintossolos, em 15,19%; Neossolos, em 13,51%; Gleissolos, em 2,21%; Solos de mangues, predominantes em 2,15% da área territorial maranhense; e Solos de Terra Roxa, predominantes em 1,58% no território.


Com este texto, nosso propósito é destacar os tipos de solos predominantes no Maranhão que compões o território da Baixada Maranhense e, de certo modo, também compõem o território do Município de Arari, segundo estudo de Geomorfologia. Destacamos: Plintossolos, Neossolos Flúviocos, também conhecidos como Aluviais; e os Gleissolos. A seguir, caracterizamos cada tipo:


Plintossolos são solos normalmente ácidos e mal drenados, característicos de clima tropical com estações secas e chuvosas bem marcadas e de área s de relevo plano, como várzeas e terraços fluviais. A formação da plintita, com sua característica cor vermelha ou amarela e grãos mais ou menos arredondados, resulta da variação no nível da umidade do horizonte plintico. Surgem às margens dos rios do leste e da Baixada Maranhense.


Neossolos é a denominação mais recente para o grupamento de solos pouco evoluídos, sem horizonte B diagnóstico definido. Reúne diversos solos “jovens” como os Litólicos (Neossolo Litólico), os Aluviais (Neossolo Flúvico), os Regossolos (Neossolo Regolítico) e as Areias Quartzosas (Neossolo Quartzarênico). São considerados solos jovens porque estão em via de formação, graças ao material que lhes deu origem, como um afloramento de rochas, ou pela reduzida atuação da pedogênese. Os Neossolos Litólicos são rasos e pedregosos e surgem largamente no sul e sudeste do Estado. As areias quartzosas ou Neossolos Quartzarênicos e aparecem na porção nordeste do Maranhão, na região do Delta do Parnaíba e nas áreas vizinhas às dunas do Parque Nacional dos Lençóis Maranhenses. Os aluviais ou Neossolos Flúvicos são derivados de sedimentos aluviais e dominam grandes extensões de vales, principalmente o do rio Mearim.


Gleissolos são solos hidromórficos, mal a muito mal drenados, sendo encontrados em áreas periódica ou permanentemente saturadas com água. São bastante desgastados e fortemente ácidos. Apresentam profundidade variável, dependendo da saturação do solo com relação ao relevo. São comumente encontrados em fundos de vales, na região do Gurupi e na Baixada Maranhense.


Como podemos perceber no exposto acima, os tipos de solos Plintossolos, Neossolos Flúvicos e os Gleissolos, que são solos de origem sedimentares, são predominantes na microrregião da Baixada Maranhense. Desse modo, estes tipos de solos são, também, predominantes no município de Arari. Daí, pode-se dizer que o solo arariense é composto pelos Neossolos e Gleissolos.


REFERÊNCIAS


GEOMORFOLOGIA.UEMA. Disponível em: http://geomorfologiacesc.blogspot.com.br/2012/04/solos-do-maranhao-mapa-e-notas.html. Acesso em 07 de maio de 2017.


IMESC. Perfil Econômico do Maranhão, 2006 – 2007




Destaque
Tags

 2017. Adenildo Bezerra. Todos os direitos autorais reservados. 

  • Facebook B&W
  • Twitter B&W
  • Google+ B&W